8 de agosto de 2013

Grafias de um coração.

Ouço uma palavra e me lembro de você. Provavelmente você deve ter continuado do mesmo jeito, com os mesmos defeitos e com as qualidades que somente eu enxergava, depois que te deixei. 
Vi uma foto sua. Lembrei de uma risada, e das tantas vezes que chorei por tudo o que você me causava. Tantas coisas que somente nós dois sabemos. Somente nós dois. Você continua vendo o mundo de uma forma diferente da minha. Você continua me vendo da mesma forma. Toda vez que penso em você, sinto como se você tivesse arrancado uma parte de mim. Eu nunca mais a terei de volta. 
Nunca acreditei que nós fossemos terminar assim. Tantas coisas que somente eu sei. Você pode ter perdido sua crença no amor ou em Deus, como você me disse inúmeras vezes. Mas eu passei a acreditar mais nessas duas coisas depois que te conheci. É engraçado como você nunca saberá o jeito que você me afetava. Mãos trêmulas, um incessante nó na garganta e um aperto incontrolável aqui dentro. Prendo minhas lágrimas. É triste ter a certeza de que você nunca me amou, porque eu amei você. De um jeito torto, de um jeito doentio. Te amei com todas as minhas forças. Mas você me apagou. Me soprou como se eu fosse poeira. Não deve doer em você. Mas dói em mim toda vez que digo seu nome. Você me levava do paraíso ao inferno, você sabe disso como ninguém, porque foi a frase que você me disse ao tentar descrever o que eu causava em você. Não consigo explicar o que nós tivemos. Eu sabia das consequências. Você sabia o que eu representava. Algo dentro de mim nunca vai morrer, por sua causa. Pode ter restado alguma coisa. Pode não ter sobrado nada. Eu não sei se em algum momento, você sentiu felicidade plena ao meu lado, como se não precisasse de mais nada além daquele instante. Porque eu senti. Você pode ter sido meu maior erro, minha terrível ilusão, meu monstro. Mas você me marcou de uma forma que eu jamais poderei apagar. Você era nada. Apenas alguém com diversos problemas, todos não resolvidos. Apenas um cara que não enxergava os próprios erros e que sabia criticar os dos outros como ninguém. Egoísta, frio, piadista. Mas você era tudo para mim. Você significou tudo para mim, em algum momento. Eu não conseguia lutar com o que sentia. Eu fui até o fim. Você, ao contrário, não quis ver sequer o início. 
Às vezes eu desejo que todas essas memórias sobre você sumissem da minha mente. Mas eu não posso negar o quanto você me ensinou. E por mais irônico que isso seja, você estava certo. Eu realmente preciso te agradecer. Um dia seu nome sumirá das minhas lembranças. Eu não conseguirei mais me lembrar do seu rosto. Mas o que você me fazia sentir, isso não sumirá jamais. Eu posso ter sido apenas uma garota para você. Você foi o homem que mudou a minha visão, meus sentidos e meu coração para sempre. 
Então, aqui está o seu tão desejado obrigada. Obrigada pelas brigas, pelas palavras que você falou e que me cortavam instantaneamente. Obrigada pelos surtos de desejo e raiva ao mesmo tempo. Obrigada pelas feridas. Obrigada pela dor. Mas acima de tudo, obrigada por você ter me deixado ir. Sem a sua permissão, você sabe, eu jamais conseguiria. Obrigada por me esquecer. O que tivemos jamais teria sido diferente. Porque o que nós fomos nos transformou no que nós escolhemos ser hoje. 
Prefiro lembrar de você como um livro. Um livro que eu jamais terminarei. Porque a história está por aí, correndo nas minhas veias, passando pela sua memória de vez em quando e sendo esquecida, um pouco a cada dia, enquanto outra é inventada. 



Kamilla de Muinck.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...