5 de agosto de 2010

É bem simples.

Ela o observava respirar. "Seria ele um anjo?" pensava, enquanto tocava sua mão. E em meio a tanta gente, tantas pessoas, tantos lugares, ela o tinha escolhido. Ali, onde as folhas de outono caíam ao fundo, ela o observava. O amor ultrapassava fronteiras naquele momento. Ela jamais esqueceria seu nome. Ela o abraçou. Ele disse aquelas três palavras que todo mundo apaixonado sempre diz, mas ela sabia que com ele era diferente. Ela deixaria todo seu passado para trás. Ele a ensinara isso. E naquela hora, só havia espaço para o amor. Para todos os jeitos. E não seria tolo esse sentimento, capaz de arrancar seu fôlego em apenas um segundo, sentir borboletas na barriga, suar frio e sentir medo de perder aquela pessoa que está diante dela? Para ela não era. Sem definições concretas, porque o que ambos sentiam era único. Como se  a sorte os estivesse esperado. Mas no amor a sorte não tem nada a ver com o que acontece. A vida tinha lhe dado muitas quedas e ele apareceu para ampará-la. E nisso o amor não se torna complicado.  É bem simples de entender que ele é a razão pela qual ela desistiria da eternidade.


Kamilla de Muinck.




2 comentários:

  1. Adoreiii *_* mando mto bemm
    agradeçendo pelo comentário
    to seguindo :]
    quer me seguir tb nao ? *_* :*

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...