25 de junho de 2010

Parada,




as mãos apertando forte uma a outra. Vejo uma linha que me segue minunciosamente. Essa é a linha do meu pensamento. Das minhas lembranças. Do meu passado. Eu a sinto puxando, tentando me levar de volta. Então eu olho pra trás. E me recordo de cada passo. De cada respiração áspera, de cada "não vou conseguir", de cada lágrima e sorriso surgindo no meu rosto. Eu estava lá. Em meu passado. Correndo, sonhando com que coisas boas acontecessem. Minha menina. Meu lado menina. Mas então, eu vejo uma outra linha, que surge a partir da linha do passado, me fazendo olhar, dessa vez, para frente. O vento toca minha bochecha esquerda. Eu vejo tudo transcorrendo. E passando tudo tão rápido. Minhas angústias, as respostas para o que eu estava procurando, meus passos acelerados, abraços apertados, sorrisos forçados, tristeza...
Eu cresci. Eu percebo que tudo mudou. Eu já não sou mais minha menina. Deixo então para trás a parte de mim que ainda acreditava que tudo era tão simples como uma história. Deixo o que é para ser deixado. Caminho mais rápido. E por onde caminho, vejo várias raízes de uma planta. Tento arrancá-las. Não consegui. Tento separar a linha do presente e do passado. Em vão. Ainda fica isso tudo girando na minha cabeça. Não, já não estou mais lá. "Para onde isso está me levando? Porque vejo tudo o que já aconteceu?", penso, correndo enquanto as lágrimas saltam. Para onde estou indo? Vejo alguém caminhar ao meu lado. O tempo me responde: para a despedida. Desligue de seu passado, guarde apenas as experiências, suas lembranças como fruto de quem você é, abra os olhos criança - viva e deixe viver - você está livre.




Kamilla de Muinck.

Um comentário:

  1. adorei, K. tipo, o seu blog tá super legal, e sempre dá aquela sensação de "como não pensei nisso antes?" ou "é verdade mesmo UHSHUS". tá de parabéns (:

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...