7 de março de 2010

" - O que você quer dizer com isso?


Não dá para entender seu modo de agir, Gabe! Eu não estava olhando para você! Estava me afastando daqui, então me faça o favor de deixar as coisas mais claras! – afastei algumas mechas de cabelo do rosto. A chuva virara um temporal.
Ele pôs sua outra mão no meu ombro como se fosse me sacudir. Curvou o corpo na minha direção como se fosse falar. Preparei-me para mais gritos, mas em vez disso ele me beijou na boca. A primeira tentativa não foi bem-sucedida, e ele me beijou no canto dos lábios. Delicadamente, então, acariciou meu rosto com a mão, e eu virei a cabeça e colei meus lábios aos dele. Mechas do meu cabelo se misturaram ao beijo. Precisei me segurar em Gabe para não cair. Senti o toque de seu rosto macio e de seu queixo com a barba por fazer. De início, seus lábios pareciam secos e indecisos na busca dos meus. Mas... quando correspondi ao beijo, não pensei em mais nada. Minha cabeça rodava.
Não sei dizer quanto tempo durou nosso beijo. Depois, Gabe me soltou de repente, do mesmo jeito que me agarrara. Pus minha mão sobre seu peito. Ele piscou, deu um sorriso sem jeito e foi embora.
Nenhum de nós disse nada.
Na manhã seguinte, havia uma pequena rosa branca no peitoril de minha janela.
À noite, fomos para o campo e só nos separamos ao amanhecer. Fiquei abraçada a Gabe por detrás, com os braços enlaçados a sua cintura e meu rosto reclinado em suas costas. Acompanhei o movimento de inspiração e expiração de seu corpo enquanto ele respirava. Sem dizer uma palavra.
Nessa noite, tive a certeza de que estava apaixonada."



Cáp. 18, Soul Love - Á noite o céu é perfeito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...